hosting menu left
hosting menu right

Nós temos 6 visitantes online
PDF Imprimir

Ozaide Cabral do Lago

Vida e Obra

Por Marli de Jesus e Priscila M. C. de Oliveira

Ozaide Cabral do Lago nasceu em Jaguariúna, em Santa Catarina, no dia 26 de julho de 1933. Filha de Paulino Cabral da Silva e Dona Carolina Malvina de Oliveira, casou-se com o Cyro Pereira do Lago no dia 22 de dezembro de 1962. O casal teve dois filhos, Raquel (em memória) e Cyro Cabral do Lago.

Ingressou oficialmente no ministério da Igreja do Evangelho Quadrangular desde 27 de março de 1968, Ozaide foi Coordenadora Estadual dos Grupos Missionários de Mulheres e hoje trabalha ao lado do seu esposo na cidade de Limeira, estado de São Paulo.

Ozaide tem o seu ministério bem definido e nele imprimi a marca de sua personalidade. Ela é evangelista e seu esposo mestre, logo os dois ministérios se completam. Por essa razão Limeira é uma igreja tão abençoada e bem sucedida.

Sempre ao lado do esposo, Ozaide foi pastora em Itapetininga, no estado de São Paulo, Paranaguá, no Paraná e em Limeira, também em São Paulo. Alegre, comunicativa, e incisiva em suas mensagens, ela cativa e prende a atenção dos ouvintes. Mulher de oração, ela tem o respeito de seus colegas de ministério e é amada por suas ovelhas.

Aos 25 anos de idade, a jovem professora primária Ozaide teve seu encontro com Deus, aceitando a Cristo como seu salvador. Até então, como toda a sua família, ela havia sido uma católica apostólica romana ferrenha. Na sua cidade fora inclusive o braço direito do padre local nas atividades da igreja. Nunca aceitou a mensagem do evangelho e era contra os crentes.

Certo dia, entretanto, foi levada a uma pequena reunião evangélica por uma sua amiga, recém convertida, empolgada em seu primeiro amor. Ozaide percebeu que havia muita alegria no ambiente e, apesar de sua desconfiança e resistência, logo no início dos cânticos, antes mesmo de que alguém se ajoelhassem para orar, ela já estava orando, de joelhos.

Nunca tinha ouvido uma profecia, mas uma das pessoas começou a profetizar e ela sentiu que era de Deus e para ela, por mais que não compreendesse os termos que eram usados. Não sabia o que Deus queria ao dizer que “tinha algo a realizar por sua instrumentalidade”, nem sequer conhecia a Palavra de Deus. Pensou em seu namorado, que era muito contra os crentes, e imaginou se ele iria impedi-la de servir a Deus, mas no mesmo instante Deus lhe falou que tinha “algo maravilhoso para conceder a ela”. Aceitou a Cristo.

A partir daquele momento, ela não teve mais paz, por causa dos conflitos que surgiram em seu espírito. Vivia chorando, angustiada e amargurada. Recebera de Deus a promessa de que teria muitas alegrias, e de que Ele lhe daria tudo que ela precisasse, mas, parecia que tudo acontecia ao contrário.

Por aceitar Cristo todos na cidade se viraram contra ela, desde o padre aos chefes políticos, muitos pais de alunos não queriam que ela lecionasse mais. Foi desprezada pelos seus familiares, que lhe negavam carinho e até comida. Ficou isolada, pois ao sair às ruas de sua cidade nem os seus amigos falavam com ela, era como se tivesse cometido um crime.

Sua mãe ficou doente e desenganada pelos médicos. Angustiada, saiu correndo pelas ruas em busca de cristãos que vieram à sua casa e oraram por ela. Sem saber o que aconteceria, colocou a mão sobre a cabeça de sua mãe para ajudar na oração e naquele exato momento recebeu o batismo com o Espírito Santo. Em seguida sua mãe converteu-se e seu pai também.

Tudo isso aconteceu enquanto ela congregava na igreja Assembléia de Deus, onde ela permaneceu três anos. Mais tarde, transferida para a cidade de Joinvile, também em Santa Catarina, onde foi lecionar, conheceu a Igreja do Evangelho Quadrangular, sob a direção do pastor Ismael Pereira do Lago. Em poucos meses, Ozaide aprendeu a estudar a Bíblia e cresceu espiritualmente, tornando-se professora da Escola Dominical. Mas ela ainda lutava com seus próprios problemas, sempre pedindo a ajuda do pastor Ismael, que era como um pai para ela.

Um dia o pastor Ismael, orando e preocupado com os problemas da jovem, teve uma revelação sobre o Pastor Cyro e entendeu que a união desses jovens seria da vontade de Deus. Entretanto, como estava em outra cidade, não tinha certeza se Cyro estaria comprometido e decidiu comunicar-se com ele.

Cyro, mesmo informado pelo pastor Ismael da existência dessa moça e da revelação, não se animou a ir a Joinvile, pois estava envolvido com a construção da igreja em Itapetininga. Ozaide, por seu lado, estava muito reservada sobre o assunto, é claro. O tempo foi passando e não se falou mais no assunto.

No início de 1961 o pastor Ismael a convidou para ir como representante da igreja à Convenção Nacional de 1962, em São Paulo, ela disse não, achando que isso seria muito difícil. Mas no dia 18 de agosto de 1961, Ozaide sofreu um acidente, foi atropelada em sua bicicleta por um caminhão e quase morreu. Este acontecimento mudaria o rumo de sua vida.

Os ferimentos eram graves, com dilatação em uma veia na cabeça e uma perna quebrada. Enquanto estava hospitalizada fez um voto a Deus de que se ela escapasse com vida e sem defeito algum em seu corpo iria à Convenção Nacional para a qual havia sido convidada.

Ozaide foi à convenção em janeiro de 1962 e conheceu a Cyro. Ele estava um tanto amedrontado e só conversou com ela no terceiro dia do evento. Ambos confessaram que a atração não foi tanto pela aparência física, mas principalmente pelas experiências com Cristo que cada um testemunhou. Ele não tinha posses, mas ela o aceitou assim mesmo. Isto foi de Deus, tanto que foi na época em que ela se converteu que ele foi chamado para o ministério. Após oito meses de noivado os dois se casaram em Joinvile.

Concientizou-se de seu ministério e testemunha sobre isso. Em 1968 foi apresentada como obreira e nunca mais parou de pregar, colecionando diversas histórias de milagres e bênçãos.

Nos anos 70, já na região de Limeira, certo dia foi convidada para pregar em Cosmópolis, num salãozinho onde pensava encontrar umas poucas pessoas, mas foi surpreendida quando se defrontou com uma grande multidão. A partir daí passou a realizar reuniões no cinema, nos clubes, salões e até num galpão emprestado, num posto de gasolina.

Quando ganharam um terreno naquela cidade iniciaram a construção de um templo. Nessa construção o pastor Cyro foi acidentado, quase morrendo esmagado ao cair de cinco metros e meio de altura com uma armação de madeira pesando 500 quilos. No acidente apenas quebrou uma perna, recuperando-se logo. Hoje lá está um templo com cerca de 300 pessoas firmes na fé em Cristo.

Outro caso foi de uma senhora com câncer e condenada à morte. Vinda da cidade de Quiratinga, em Mato Grosso, sofria dores intensas e nada podia comer. Por revelação do Espírito Santo, recebeu a oração da Ozaide e foi curada num culto em Limeira. Antes, para tomar uma simples colher de sopa precisava tomar um comprimido, após a oração podia comer de tudo.

Essa senhora viajou 36 horas para regressar à sua cidade e lá deu o testemunho da cura. Convidada a ir àquela cidade, Ozaide, pensando também ali pregar a um pequeno grupo de pessoas, viu-se à frente de aproximadamente três mil pessoas. Incríveis foram as bênçãos que Deus operou ali e em outras campanhas através do seu ministério.

Tanto Cyro como Ozaide, têm tido um ministério muito abençoado na cidade de Limeira. Ele mais como pastor, ela mais como evangelista.

Um ministério abençoado e que abençoa. Assim é a pastora Ozaide, uma vida preciosa nas mãos do Senhor.

Todos os direitos reservados pelo Departamento Histórico da Igreja do Evangelho Quadrangular

Ao reproduzir qualquer parte deste site favor citar a fonte.

 

 


website hosting main area bottom